pensamentos vagos em calor escaldante

Trinta graus de matar lá fora, onde é que foi parar o frio? Tive de atravessar a cidade em três ônibus completamente lotados – porto alegre não era tão grande assim, antigamente. Quando cheguei no lugar a moça disse que faltou um documento. Pedi uma brecha, resumi minha situação, posso mandar por e-mail? A gente nem tem e-mail, senhor. Eu mando pro teu pessoal e tu imprime daí. Ok. Muito obrigado gahzinha99@…, tu me fez ganhar um bom tempo com isso.
Três ônibus lotados e escaldantes pra quinze ou vinte minutos, mais três pra voltar. Os dois últimos já não tavam mais tão cheios e pude sentar e abrir um livro. Um casal, atrás de mim, falava sobre uma garota, parei pra prestar atenção quando percebi que era de uma amiga minha que eles tavam falando – porto alegre não é tão grande assim, afinal. Parece que os pais dela são loucos, de acordo com o que ouvi. Grande merda! É assim que todo mundo começa ou termina alguma coisa, com a loucura. Voltei a ler o livro, é sobre o Leonel Brizola, tenho lido um bocado de coisas sobre o Brizola e a Campanha da Legalidade para um trabalho. Meu avô malandro muambeiro pegava os revólveres Taurus, que o governador distribuía na época (a fim de começar a revolução armada), pra vender no Uruguai. Foi o que ele me disse uma vez depois de algumas garrafas de vinho. Não sei se é verdade – acho que o velho é um bocado mentiroso. Uma bela época aquela, todo o gaúcho podia ter sua própria Taurus de graça, entregue pelo majoritário, que também atirava munições ao povo pela janela do Palácio Piratini. Brizola, gaúcho muito conhecido por ter fudido com o Rio de Janeiro (é o que todos os cariocas me dizem), fez um belo de um trabalho por aqui (na educação, inclusive) e, ainda, atrasou a ditadura militar por uns dois anos. Mas também teve que fugir com o rabo entre as pernas, sem apoio de nenhum “aliado” de força. Grande merda! É assim que as coisas acontecem se você dá valor demais à política ou a qualquer coisa que seja. Se não morrer antes, uma hora vai se decepcionar pra valer. Essa decepção vai ser proporcional à seriedade com que se trata tal coisa. Vejo pessoas irritadas estressadas nervosas e lamentando e lamentando e lamentando. Elas só tão pagando pelo que fizeram de BOM e de ruim, por suas escolhas equivocadas ou não (vai saber) – não seria nada de tão terrível assim, se pelo menos a agente tivesse alguma certeza sobre quem é o credor. Por isso, exceto pelo fato do centro de treinamento da escola de samba Fidalgos e Aristocratas ter, todas as noites, uma centena de pessoas que se agradam num batuque (e que depois de três meses conseguiram me irritar um pouco), eu não estresso com muita coisa. Também não tenho lá mil responsabilidades como família e filhos pra manter, só preciso cuidar de mim mesmo – acho que não faço nem isso direito, mas, droga, claro que não vou me revoltar por um motivo besta desses. O teclado tá aqui pra isso e os poemas do Bukowski e as músicas que gosto e os pequenos contos do Ricardo Carlaccio… Fui um pouco rebelde quando tinha meus treze ou quinze anos e morava em uma casa decente com uma família bacana e estudava em um colégio e, até, frequentava batizados e casamentos, uma vez que outra. Assim é difícil não ser um rebelde, não é mesmo? Bem, agora é fácil, mesmo com os trabalhos puxados da faculdade, mesmo tendo que ler artigos que não me interessam em nada, mesmo sabendo que talvez McLuhan tivesse certo mas é apenas outro palhaço idiota como todos nós, mesmo com dias de calor escaldantes e seis ônibus intragáveis como esse…  Ainda posso acabar o dia ao lado de uma garrafa e das teclas do computador, ou daqueles poemas do Buck, um filme do Jarmush, os Stones emulando um blues qualquer no meu ouvido, enfim – É isso o que me salva. Essas coisas fazem um bem tremendo pra minha cabeça, duvido que me deitar em algum divã e falar minhas bobagens faça o mesmo. Tenho uma completa (e ignorante) certeza de que não.

Anúncios

7 Respostas to “pensamentos vagos em calor escaldante”

  1. Diego Moraes Says:

    Cabra bacana teu avô.

  2. Paula Klaus Says:

    hey Bruno, o calor aqui hoje foi proporcial ao inferno, saca? dia abafado, cabeça a mil e um livro na bolsa que me deixou o dia todo com uma excitação meio que sem muita explicação… sabe compartilhamos uma certeza em comum, então, e isso nos vai ser sempre o melhor a fazer!
    Um Beijo pra você!

  3. eve Says:

    brunão, se eu baixar em porto especialmente pra beber um conhaque com você aonde te encontro?

  4. Murilo C Says:

    Brizola era sensacional.

  5. Janaína Says:

    O Brizola construiu centenas de escolas, os CIEPS, a.k.a BRIZOLÃO. Eu curto.

    Ae bicho, c faz comunicação?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: