mais um desses diários alcóolicos regados ao ruim e velho uísque nacional

Às nove da noite rolava Green Day no Bells. Puta falta de sacanagem. Inda bem que quando passei pela porta e comecei a preparar meu mp3 colocaram um dvd do Creedence pra tocar. Não gostaria de disperdiçar a pilha fraca do mp3 tão cedo da noite. Agradeci pedindo uma dose de whisky bom. Depois passei pros nacionais até as 22h, quando fui no Jekyll ver a Hoodoo Blues e o Gaspo Harmônica tocarem. Fiquei escorado na parede bebendo um Drurys e escutando os seus blues vagabundos.

Little Silly sabia todas as músicas do Ray Charles e do Ray Vaughan de cor, e tinha uma camiseta do Lynyrd e o toque do seu celular era Rocks Off dos Stones. Claro que me apaixonei por ela. Grande bobagem. Conversamos besteiras e assistimos os shows e suas amigas chegaram e ela perguntou Onde tu vai agora? e eu poderia dizer Vou pronde você for, beibe, mas eu apenas disse Porra, acho que vou ali no Van Gogh. Van grogue como dizia a Hutz. Quem é Roots? Ela perguntou e eu fiquei quieto e deplorável e bêbado, como de costume. Pô, não vou poder ir contigo, ela disse, Marquei de ir num samba rock. Meu namorado vai tá lá, Little Silly concluiu. Filha da puta, isso que ela é. Pegou o celular da minha mão e anotou o número dela. Me liga amanhã, ela disse, vou acabar com meu namorado hoje. Não acabe com o garoto, eu falei, ele gosta de samba rock, mas ninguém é perfeito. Ela riu e foi embora e falou que era preu ligar amanhã. Que espécie de cara espera sua garota vir de um show de blues numa casa de samba rock? Enfim, foda-se, que espécie de cara sou eu…

O Van Gogh – meia noite é o melhor horário do bar, nunca tô nesse horário porque sempre saio de casa à meia noite, mas ontem eu tava e não tinha mais ninguém lá e bebi tranquilo feito água de poço. A mesa do Van Gogh é bem mais baixa que a do Bells, percebi porque quando acordei sentia uma pequena dor na coluna. No Bells posso dormir escorado na mesa à vontade e é uma beleza – mas é um bar que fecha cedo e, geralmente, as garçonetes me acordam preu levantar e cair fora. Acordei no Van Gogh e ele nem tinha começado a encher ainda. Passeei na agenda do celular e avistei Little Silly, pensei mesmo em ligar prela, mas é claro que não, ela tava no samba rock, não escutaria Rocks Off dos Stones no meio de tanto Jorge Ben Jor, Tim Maia e sararás crioulos da vida. Fiquei imaginando ela lá, dançando com o seu namorado, uma doce e besta garotinha coa camiseta do Lynyrd Skynyrd na porra de um samba rock. Aí, na minha escrota e chata solidão de bêbado carente que se encharca do whisky mais vagabundo, liguei pra Lucky Slim. Ela acordou e atendeu e não pareceu nada incomodada, gosta de quando eu faço isso, até reclamou que fazia tempo que eu não ligava de porre prela. Conversamos um pouco e ela disse preu ligar amanhã. Tenho duas garotas pra ligar amanhã, claro que não levei isso a sério, falaram da boca pra fora, ou vocês acham que existem fins de relacionamento no meio de um samba rock? Já ouviram alguma música triste do Jorge Ben Jor? Eu não. Por isso não acredito que um cara feio e truculento como eu teria dois pedidos extremos e sinceros de ligações no dia seguinte. Por isso quando a noite de amanhã chegar, vou caminhar na chuva até o ponto de ônibus e pegar a linha que me deixe próximo dos bares, outra vez.

Anúncios

7 Respostas to “mais um desses diários alcóolicos regados ao ruim e velho uísque nacional”

  1. ursocongelado Says:

    Massa pra caralho. ” ele ouve samba-rock, ninguém é perfeito ” – ( risos ).

  2. jana Says:

    bicho, liga pra ela daqui uns dias.
    Ela nao vai estar esperando, daí fica td mais fácil. experiencia propria

  3. Helena Hutz Says:

    Eu, eu!. Li por cima… o Bell’s tá ruim, então? Poxa, já te disse isso. Sempre foi meu bar preferido de POA (tirando o Van Grogue). Vou reler… Nem sei se é sério o que tu escreveu! Ah, hey… e a Línguapop? Vai aquele conto mesmo? Beijo.

    • brunobandido Says:

      Não tá ruim não. Mas as vezes toca o greenday. Mas eu peço prelas botarem creedence ou acdc. Desde que vim pra poa ele já teve várias fases, foi bar de motoqueiro, de góticos, e agora é meio que normal. preferia de motoqueiro. nunca falhava a trilha sonora. mas enfim, eu só vou nesses dois bares, praticamente. bells e van gogh. o post é sério sim. e lingua pop vai rolar. se tu nao mandar nada que prefiras ou inedito, vou pegar uns contos de foda sim.
      um beijo.

  4. Helena Hutz Says:

    É, porque eu sempre chamei o Bell’s de Hells bells – que pra mim era meio óbvio que o som o era bom. Bem, até quando posso mandar algo? Agora já estou mais sussegada e talvez eu consiga escrever algo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: