Bernadette, Machete, Melville, Giancarlo, dois livros A Estrada e aprendendo a dizer Eu te amo em esquimó

Ver Machete me deu vontade rever dois filmes. Não por causa do Machete, mas por um ator que está lá. Tem uma penca de ator bom lá. Tem uma penca de atores não muito bons mas clássicos no meu imaginário cinematográfico b. Ainda tô vibrando coa sacada que foi colocar o Steven Seagal de vilão (ele já tinha sido vilão em algum filme?). Mas a atuação que eu mais vibrei – é muito boa, porém menos constante – é a do Don Johnson . Eu não tinha visto esse pôster e ele era o único ator que eu não sabia que ia tá no filme. Caralho! Obrigado Rodriguez por colocar o Don Johnson nessa porra. Muito Obrigado. Por causa dele que fiquei com vontade de rever dois clássicos do cinema b:

Harley Davidson e Malboro Man que eu já vi umas vinte vezes desde os doze anos. E Hot Spot – Um lugar muito quente, que eu só assisti uma vez há muito tempo atrás e nem lembro direito, mas era legal pra burro, Don Johnson pegava umas gostosas e roubava um banco, senão me engano. Já tratei de achar a bagaça na internet e vou rever no fim de semana.

Hoje também me lembrei de uma atriz das antigas que eu sempre gostei de ver em filmes franceses e velhos. Lembrei lendo o blog da Adriana Brunstein. Ela falou de um filme do Michel Drach e eu lembrei de outro filme dele que tem a Bernadette Lafont como personagem principal. Ainda bem que leio um blog que fala do Michel Drach e ainda bem que minha mente faz esse tipo de ligações procurando francesinhas maravilhosas por referências à fora. Assim pude ir no google imagens pra me recordar de Bernadette e encontrar essa linda paisagem: . E isso que o que eu tava me lembrando era do rosto dela.

No Machete também tá cheio de mulheres lindas. E ele se deu bem com quase todas elas. A única que não comeu foi porque o filme acabou nas preliminares.  Michelle Rodriguez tá foda nesse filme.

No mais tô acabando os livros Anjos da Desolação (Kerouac), o Raízes do Mal (Dantec) e o ‘A Estrada‘, um divertido relato do Jack London sobre a época em que ele era jovem e era um hobo. Hoje, antes do trabalho, passei na biblioteca e reservei Meridiano de Sangue do Cormac McCarthy (que também tem um livro chamado A Estrada e é muito, muito, bom) e Moby Dick do Melville. eu tô atrasado nessa leitura, não? Na biblioteca, eu li umas páginas e lamentei o fato de não ter começado Moby Dick quando tinha uns 13 anos ou algo do tipo. Claro que eu já li um monte sobre a obra e tudo o mais – e também li a edição do Ken Parker quando o o Giancarlo Berardi  coloca o meu amigo Rifle Comprido numa história inspirada no livro do Herman Meville. Essas coisas acontecem de vez em quando nos gibis do Ken Parker. Vou reler essa história hoje mesmo. Bem que eu queria que o Nanuk, um velho esquimó gorducho e boa praça, tivesse no romance Moby Dick. E aí tá outra referência do Berardi, acredito que Nanuk tenha sido tirado daquele documentário antigo e famoso Nanook of the North – embora deva ser um nome comum entre esquimós, quem se importa? Uma vez eu falei uma palavra estranha em voz alta enquanto lia um livro. Algo como naiuki, porque dizia algo assim no livro. Aí minha ex-namorada, na época namorada, perguntou o que era e eu disse ‘é Eu te amo em esquimó’ e ela achou a minha atitude bonita sei lá eu o motivo. Até hoje ela deve pensar que naiuki é Eu te amo na linguagem dos esquimós, agora fico imaginando se ela alguma vez disse naiuki pra alguém.

Então é isso, amanhã eu começo a ler Moby Dick e Meridiano de Sangue e espero que sejam boas leituras. Eu já queria levá-los hoje, mas me dei conta que tinha um livro em atraso pra devolver e não pude. Daí escondi os dois atrás de vários livros de Física e Cálculos e deixei pra pegar amanhã. Foi essa atitude idiota que eu chamei de ‘reservar’. Espero que entre hoje a tarde e amanhã ao meio dia ninguém tenha procurado (ou vá procurar) por eles. Acho até que não.

Anúncios

11 Respostas to “Bernadette, Machete, Melville, Giancarlo, dois livros A Estrada e aprendendo a dizer Eu te amo em esquimó”

  1. |Fly| Says:

    Bah! Que boa biblioteca que tens a disposição, hein? Aqui apelo sempre para uma da minha universidade, mas acaba tendo só clássicos canônicos. Não que seja ruins, na verdade, pelo contrário, estou sempre com a cota de disponibilidade estourando. Mas às vezes sinto falta de algo mais… Diferente? Salvem a internet! Que me permite comprar estas coisas que não tem na biblioteca. Mesmo assim, Cormac McCarthy numa biblioteca? O cara não é tão diferente, mas não achei em nenhuma da região, tanto que A Estrada tive que pedir no Submarino mesmo. No final, que bom ler alguém falando bem de Machete. Só vi críticas por aí. Pessoal esperando coisas bonitinha. Não seria coisa bonitinha. Pelo menos não como esperavam, este pessoa de gola e charme de cineasta. Machete é lindo, viva os que notam isso! E viva Don Johnson!

    • brunobandido Says:

      A da minha universidade também não presta. Nem nenhuma da cidade. Moby Dick é um clássico e do Cormac é só esse que eu achei em todas bibliotecas públicas. O resto é que nem tu falou mesmo. Grande abraço.

  2. DIEGO MORAES Says:

    Que traseiro lindão na janela. não conheço nada dessa atriz. vou caçar algo dela. valeu.

  3. Mário Bortolotto Says:

    Por coincidência assisti (pela décima vez talvez) “Hot Spot” dia desses. Tenho em VHS. As gostosas são Jeniffer Conely na flor da ninfetice e uma estonteante Virginia Madsen (a irmã do Michael) bancando uma Marylin putona bagaceira. Muito boa. Também sou fã do Don Johnson e não vamos esquecer que a direção é do Dennis Hopper.

    • brunobandido Says:

      Sim, quando eu vi eu não sabia que a direção era do Dennis, eu era bem moleque. Ontem que descobri. Não sabia que essa atriz era irmã do Michael Madsen, ela é boa – também tá naquele b Bordel de Sangue, que é adaptação dos quadrinhos, e que eu me lembre em Sideways e no último do Robert Altman. Decidi não sair pra beber e rever Hot Spot essa noite. Grande abraço.

  4. Adriana Brunstein Says:

    Você vai se viciar em Mc Carthy, principalmente na trilogia com o Billy Parham. Hoje comprei o que faltava dele. Go west! E lamente quando cada um terminar.
    Beijo, Bruno

  5. Helen Says:

    Voce devia postar mais no blog, Bruno.

  6. camila fraga Says:

    nao sei se tu leu ou se é eu estilo de leitura, mas procura pra ler quando der um livro do Bataille chamado História do olho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: