balada para melly g.

 Melly G. disse que sempre chora quando ouve Don’t Look Back in Anger. E seus olhos se fecham e a luz dos faróis amarelam seu rosto. Sua mão tava gelada, eu ainda não tinha tocado nela, mas é fácil perceber quando a mão de uma garota magricela está gelada numa madrugada fria. Meus amigos tavam destruindo o único bar aberto da cidade – ele tinha globos de luzes pirotécnicas e eu não conseguia escutar a música que vinha lá de dentro, pero dava pra imaginar um Amado Batista. Dei um talagasso na minha dose de St. Pippers em copo plástico, ela se espreguiçou no capô e começou a chorar por causa da música mala de Noel Gallagher. Melly G. sempre chora quando ouve pra não olhar pra trás com raiva – e, diabos, ela deve ter seus motivos. As luzes vermelha e azul da sirene se confundiram com as dos globos pirotécnicos no reflexo da porta de vidro escuro do bar. Dois brigadianos (espécie de PMs gaúchos) desceram do carro. Teus amigos vão se ferrar, Melly G disse, e acho melhor você não tentar dar um jeito nisso. Ela tinha me conhecido apenas naquela noite, mas é fácil perceber quando um idiota constrói um muro de eminência por volta da encrenca numa madrugada fria. O dono do caminhão saiu do bar, a gente caiu fora do capô e ele disse Boa noite. Tá acontecendo algo lá dentro? Perguntei. Eu não vi nada, ele respondeu, Daonde tá saindo essa música? É do meu celular, Melly G. disse e eu deixei os dois ali e entrei no lugar. Tava tocando uma espécie de novo forró ou sei lá como chamam essas coisas. Meus amigos e os dois brigadianos não tavam ali. Alguém me apontou uma porta e ela tava trancada. Insisti pra que abrissem, escutava uns gritos, alguém girou a maçaneta e não lembro direito o que eu vi, só que acordei com um puta de um galo na minha cabeça.

Anúncios

6 Respostas to “balada para melly g.”

  1. Danilo Dias Says:

    Uma das coisas que admiro em seus textos é a capacidade de provocar uma interrogação ao final da leitura – Será que ocorreu mesmo?

    Assim é comigo.

  2. felipe blanco Says:

    lily thai gritando fuck me fuck me fuck me
    me comove mais, muito mais do que melly g. chorando com oasis.

  3. arnaldo Says:

    “hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás.”

    inclusive com a lily thai.

  4. Hamlen Says:

    Uma das coisas que admiro em seus textos é a capacidade de provocar uma interrogação ao final da leitura – Será que ocorreu mesmo?
    +1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: