tem esse domingo ensolarado e uma alma triste no caminho de Foz

Tem essa garota que era viciada em anfetaminas e muito dramática. Tentou se matar três vezes e sempre colocou a culpa em mim. Eu tinha dezessete anos e já descoberto que meu melhor bunker é dentro de uma garrafa. Foi tudo sempre natural, como se seguir o risco de caneta bic no mapa amassado fosse a única vontade divina. Ela era um fracasso em suicidio. E aí eu a arrastava pro banheiro, colocava o dedo na sua goela e a jogava de cara na privada. Reza aí. Eu pegava a chave e a trancava dentro da sua própria casa e ia beber coa rapaziada. E aí bandido, tudo bem? Eles diziam. Tudo bem, eu respondia. E respondo até hoje. E nunca tá tudo bem. Mas essa garota faz questão de avisar na rede social que tá tudo bem com ela. Avisa pra todo mundo. Ela namora um recruta da Brigada Militar e, pelo que li no seu status que invade o meu mural internético todos os dias, amanhã ela vai pras cataratas do Iguaçu. Eu sempre penso nas cartelas de comprimido vazias. Nas cartas que mais do que despedidas, eram verdadeiros comunicados de culpa – nada a ver com seu mural do facebook. Ela tem um urso que diz Eu te amo. E parece que todo o mundo dela é de pelúcia, agora. Ela ficou três meses na igreja evangélica (esse é um desfecho de dramalhão tipicamente brasileiro e atual, retrato da repugnância da nossa época – tem final feliz mais repugnante do que virar evangélico?), ela não aguentou, mas saiu imaculada de lá, ou pelo menos fingiu direitinho. E seria bom se isso tudo fosse verdade. Mas a gente sabe que enganar a si mesmo é o truque mais barato de sobrevivência. Espero que ela saiba menos. Que ela só aja. Que ela não perceba que aquele urso que diz Eu te amo é o urso mais triste da sua categoria. Eu sigo utilizando meu bunker e, se o fim do mundo chegar, vou morrer em cima da minha casa com um rifle. Eu tenho uma melodia estragada do Pitty Alvarez pra cantar baixinho, eu tenho a imagem dos seus pulsos abertos, da sua voz irritante, suas frases malucas enquanto trepava, nossa, eu odiava o beijo dela, a trepada dela – ela devia ser melhor nisso, eu pensava, ela dá pra todo mundo, caramba, quanta prática ela vai precisar pra aprender alguma coisa?, mas eu a amava – e sabia que ‘falta de prática’ era o status que melhor lhe traduzia, pra tudo, pra vida. E eu sei que as coisas tão melhores pra alguém agora, não pra mim (por suposto), e eu sei que amanhã as cataratas do Iguaçu terão uma alma triste pra admirar. E não sei explicar muito bem, mas ela sempre combinou coesse negócio de cataratas.

Anúncios

17 Respostas to “tem esse domingo ensolarado e uma alma triste no caminho de Foz”

  1. Diegopitu Says:

    Com sorte, ela poderia rezar uma novena e depois se jogar naquelas águas violentas das cataratas.

  2. Camila Fraga Says:

    que texto bonito, pô.

  3. Diego Moraes Says:

    “E não sei explicar muito bem, mas ela sempre combinou coesse negócio de cataratas”. – Bacana.

  4. RAFAEL ROCHA Says:

    VAI SE FUDE!! RSRS
    EU… SIM.. TENHO INVEJA DE VC!
    (INVEJA BRANCA, SE É QUE EXISTE ISSO)
    E UMA BAITA ADMIRAÇÃO!
    ESCREVE TUDO AQUILO QUE EU NÃO CONSIGO!
    LINDO!!
    GRANDE ABRAÇO, BRUNO!
    QUALQUER HORA TE PAGO UMA DOSE.
    TIM TIM!

  5. RAFAEL ROCHA Says:

    NUNCA ACREDITEI EM QUEM ” TENTA” SE MATAR.
    QUEM QUER SE MATAR, SE MATA!
    O RESTO É UM PEDIDO DE SOCORRO URGENTE!

  6. arnaldo Says:

    “ela tem um urso que diz eu te amo”.

    boa essa, hein?
    abraço.

  7. adriana godoy Says:

    Bandido, uma magia e encantamento esse texto. Também concordo que não há fim mais triste que a pessoa virar evangélica pra se salvar dela mesma. Isso é o apocalipse. Bonito esse texto, cortante como os punhais com mel. Beijo

  8. Mariane Ribeiro Says:

    bruno.. gosto muito da forma que você vê as coisas.. ou pelo menos como elas soam para mim.. nunca sei se o que você escreve é real ou ficçao, mas pra isso não importa nenhum pouco, o que mporta é quando eu leio um texto que permeia minha imaginação de uma maneira só minha.. e seus textos me fazem isso.. faz tempo mas é bom passar por aqui de volta

  9. Beatriz Provasi Says:

    q texto mais lindo! e, sabe, eu sempre desconfio de quem tem essa necessidade de se mostrar sempre tão feliz em redes sociais… aliás, é o q faz a maioria. então na verdade eu desconfio de todo mundo… até de mim! mas po, q texo belíssimo, bruno! espero q a garota fique bem. um dia ela vai entender q existe alguma coisa entre as cartelas de comprimidos e os ursinhos de pelúcia… não precisa ser assim. bjss
    ps. tô chegando em porto alegre esta quarta, vc vai estar por aí?

  10. brunobandido Says:

    oi, bia, acho que vou tá só até quinta, depois acho que volto depois do dia 15. até quando tu fica mesmo? me manda uma mensagem ou liga, aí a gente combina de beber.

  11. F. Reoli Says:

    Essa associação de mulheres com alma triste e cataratas foi do caralho. E no final, é a gente que desce à toda, sem precisar de nenhum barril. Sempre bacana te ler, Bandido. Grande abraço.

  12. Ernane Catroli. Says:

    O cadência da narrativa: excelente, superior.

  13. Ernane Catroli. Says:

    Corrigindo: “A cadência …”. Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: