duelo de babacas

eu ando elaborando paraísos egoístas na minha cabeça enquanto tenho que ser caridoso. tô precisado de 7 garrafas de conhaque por semana e a mais completa solidão, talvez alguns filmes do john ford. e eu nao vou ter isso por um bom tempo e saber isso me deixa mais sozinho no meio dessa merda toda. quando sobra um tempo, assisto os episódios que me faltam nas duas temporadas completas de Louie – a combinação de piadas sobre masturbação e peido com a  melancolia de um solitário crônico criando suas filhas, ou de trepadas no instinto, ou de amigos que caem na porrada e depois voltam a andar juntos pela madrugada, ou de um velho conhecido que volta pra quebrar uma noite de bebedeira e depois dizer que vai se matar, é um bocado interessante na minha mente escrota e amargurada. escrevo notas rápidas para um DJ de rádio que criei há uns anos atrás. um DJ desses que não existem mais. DJ Sallinger é o nome dele. E se eu pudesse colocar num dial em que ele tivesse falando e mandando suas músicas, pelo menos eu ia poder brindar coa solidão e não ficar nesse jogo maluco e infantil com ela – quando moleque,  tinha essa brincadeira idiota em que a gente pegava uma bainha de faca e ficava batendo um na mão do outro com ela até ver quem não aguentava mais, quem não desistisse seria o campeão, a bainha era de couro e deixava vergões na mão da gente, uns moleques levavam a porrada e faziam um fiasco de dor e depois riam feito panacas daquilo tudo, o que dava a porrada também ria e eles voltavam a jogar taco ou falar sobre meninas, nas poucas vezes em que decidi entrar naquela porra, eu só fiquei quieto – levava a porrada, dava ela, o outro fazia seu fiasco afetado cheio de dor e dentes e gargalhadas e eu ficava quieto morrendo de dor, até pra levar porrada eu era tímido e antipático, e eu geralmente não desistia, mesmo que meu braço estivesse tremendo e eu não pudesse segurar nada coaquela mão por um bom tempo (é claro que eu escolhia a esquerda, já que sou destro e um garoto tímido apaixonado por uma coleguinha de classe e gamado naquelas atrizes gostosas dentro da televisão precisa de sua melhor mão funcionando – era um esforço meu, porque de acordo coas regras do jogo da bainha a mão que leva é a mesma que bate, e claro que eu bateria muito mais forte coa direita, mas eu não correria o risco de prejudicar meus momentos mais sagrados), então, eu vencia de canhota e voltava quieto pra casa, quando eu ficava distante o suficiente pra que os outros garotos não pudessem me ver eu começava a caminhar com passos rápidos, entrava pela porta correndo, rezando pra que meus pais não tivessem e colocava a mão embaixo da pia, ficava ali, coa água correndo e aliviando um pouco a ardência na palma da mão e me sentindo o maior idiota de todos os tempos. foi quando eu descobri que ser o vencedor não significa porra nenhuma pra mim e que perder também não. e, agora, quando de noite, eu tenho alguns segundos de descanso, eu apenas tiro a bainha da faca e chamo a solidão prum duelo de babacas. sempre dá empate. as pessoas não mudam quase nada. aqueles caras que duelavam comigo na infância seguem rindo dessas bostas e comemorando conquistas, eu sigo sendo um idiota melancólico e sozinho e tudo isso não me faz pensar em nada de mais.
Anúncios

4 Respostas to “duelo de babacas”

  1. Camila Fraga Says:

    tá foda, punheteiro.

  2. Rocha Says:

    muito foda, Bandido!
    Feliz ano novo, irmão!
    grande abraço!

  3. Kubrick Theme Says:

    Tem maior hipocrisia que criticar os babaquinhas que pagam pose uns na frente dos outros na maior falsidade, quando no fundo a pessoa que critica não mostra o seu verdadeiro eu por timidez?

    Timidez é uma puta falsidade. É o EU de carapuça, com fama de bandido em pele de cordeiro para ninguém te ver.

    A internet tá aí pra botar pra fora o lobo. A vida também.

    Abraço!

    • brunobandido Says:

      não acho que timidez seja hipocrisia, cara. aliás, ser tímido não é algo que tu opta por ser, pô, como vai ser uma atitude hipócrita?
      falsidade? não engulo essa teoria.

      eu sou tímido, mas sou ainda mais reservado (pra não encher muito o saco das pessoas como gostaria que não enchessem o meu) além de ser muito antipático e anti-social, às vezes as pessoas confundem essas coisas com timidez.

      e não foi no sentido de fazer uma crítica veemente a ninguém, eu posso ter dito que acho a atitude deles babaca, ou idiota, assim como sempre me achei também um idiota. o fato de eu não gostar da maioria das pessoas, não quer dizer que eu me ache melhor do que elas, muito pelo contrário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: