ginsberg

e como o blog tá parado, aqui vão dois poemas do grande Ginsberg que a Camila Fraga traduziu com base numa tradução espanhol e nos originais em inglês. tem um rítmico country fora da lei e outro amargurado poema de amor, ou melhor, a falta dele, que mesmo gay, mostra que é tudo a mesma merda, não é? ou não foi o Cazuza que escreveu O nosso amor a gente inventa e Carne de Pescoço?

BLUES DO DEDO-DURO

Nasci em Wyoming, Cody é minha cidade natal

Me prenderam, o xerife me pegou

Os federais me golpearam o nariz, me senti como um sujo

Palhaço

Entreguei minha irmã, tal e como me pediram

Entreguei meu irmão, tive que fazê-lo, por acaso você não

faria?

Se me derem outra porrada, suponho que entregaria você também

Por favor, não me culpe, tive que pegar vinte anos

Uma onça de erva, me plantaram nos ouvidos

Encontraram uma semente e regaram com minhas lágrimas

Tirava notas altas na escola superior, o garoto

mais esperto da classe

Fui até os onze, o idiota mais esquisito que se possa

imaginar

Nos encontraram na cama fumando um baseado

A garota começou a chorar e os Narcóticos gostaram dela nua

Nos pediram que os chupassem, eu lhes disse que isso era

demais

Nos levaram ao cárcere & nos acusaram de luxuriosos

Dez anos por resistir a prisão, mais dez anos por um baseado

de nada

Dez anos garoto, começa a entender?

Os Federais queriam dar um golpe soando, ouvimos como

cantam oink, oink, oink

Quem você conhece na escola superior, quantos vão de

avião

com quem fumas? Queremos os nomes dos rapazes

Vão quebrar todos os nossos pais, como se não fossem impedidos pelo

Bom Deus!

Não sou mais que um pobre dedo-duro, me prenderam em Wyoming

Cantarei! Desde Cody até Casper, até Riverton

Desde Gilette a Powell sou uma pomba voando

Governador, Governador tire-me dessa mentira!

Presidente, Presidente, despenalize os baseados.

Aqui em Wyoming os Xerifes jogam sujo.


 

DESAMOR


O amor se desgasta até a verdade desnuda

Meu coração se feriu muito na juventude

Agora escuto bater meu verdadeiro coração

Forte e oco golpe de carne

Senti meu coração mal como uma dor

Dolorido em meus sonhos e em carne viva ao despertar

Beijaria a cada novo amor no coração

Tremendo o abraçaria peito contra peito

Beijaria seu abdômen, beijaria seu olho

Beijaria seu vigoroso músculo de homem

Beijaria seus pés, beijaria sua rosada bochecha

Beijaria detrás da sua dócil nudez

Agora minto sozinho e um jovem

cerca de minha casa, pra falar a verdade não me deseja

Veio para cama comigo, em troca

Ama os pensamentos que há dentro de minha cabeça

Sabe o quanto lhe valorizo

Retem meu coração, seu doloroso capricho

Olha através de mim com olhos zombeteiros

Rouba meus sentimentos, bebe & mente

Até que eu veja a Verdade vazia do Amor
Volto meu pensamento a minha desconsolada juventude

Escuto meu coração bater vermelho na cama

Grosso e vivo, amor rejeitado.

Anúncios

Uma resposta to “ginsberg”

  1. adriana godoy Says:

    Ginsberg é um dos meus preferidos. Gostei de sua escolha.Bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: