receita matrimonial para um bicho do mato

se puder, compre um bom sofá. é o clichê máximo e o disparate inevitável – mas procure ficar atento ao conselho. trate-a como você achar que ela merece, bem ou mal, assim, se um dia ela se for, as doses de whisky não serão tão pesadas. provavelmente um dia ela irá, – ficar surpreso quando isso acontecer é apenas mentir pra si mesmo.
procure manter seu pau limpo, é básico e talvez deixe as chupadas um pouco menos raras. não seja preguiçoso e use a língua também, desconsidere o que você julga sobre merecimento individual nessa questão, todos merecem a língua – faça sua parte. na cama, elas sempre irão querer o greatest hits. se você já foi estupidamente foda algumas vezes, se você fez elas berrarem até perderem a voz, se você trepou três sem tirar e quando finalmente saiu ouviu que deveria ganhar dinheiro fazendo isso ou qualquer coisa do tipo – bem, pode ter feito um bem danado pro seu ego, mas você está ferrado. o simples, tranquilo e eficaz lado b dificilmente será a escolha do lado feminino do quarto. fodendo ou não, jamais abandone a punheta. use suas próprias mãos assim que possível, mulher alguma superará sua experiência e autoconhecimento nesse quesito.
com o decorrer do tempo, você estará fingindo acreditar em coisas como amor e relacionamentos –
como represália, terá de se acostumar com os falsos gemidos. eles podem ser irritantes quando vêm da sua própria mulher. feche os olhos e imagine estar comendo uma secretária de dentista, uma prostituta ou a noiva do seu melhor amigo – falsos gemidos soarão prazerosamente mais suportáveis vindo delas. se o dinheiro deixar, estoque cervejas. quando você não estiver suportando, coloque um filme de ação e a espere dormir – assista até o final, levante e pegue mais uma lata. tome um longo gole enquanto observa suas pernas nuas no colchão. poucas coisas são mais bonitas do que isso. se você não concordar, caminhe para o bar, vá comprar cigarros, ajudar mendigos, atordoar os santos ou sei lá… volte para o buraco de onde você saiu, pra vagabunda que sugava suas bolas, pra casa dos seus pais, pralguma quitinete blindada, qualquer merda do tipo. apenas não volte.

Anúncios

3 Respostas to “receita matrimonial para um bicho do mato”

  1. Camila Fraga Says:

    puta ritmo foda.

  2. Via blog do Bruno Bandido | Says:

    […] receita matrimonial para um bicho do mato […]

  3. curira Says:

    isso ae capitão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: