Carlaccio Free

12380986_1625000044489418_56272196_o (1)

 

O Ricardo Carlaccio acaba de disponibilizar um de seus melhores livros de graça em PDF. Lembro que quando foi lançado, há alguns anos atrás, o Carlaccio me mandou uma caixa cheia deles. Distribuí pruma galera de Porto Alegre. Todo mundo, depois de um tempo, veio falar bem dele pra mim. Agora tá aí. Comprovem. Segue, abaixo, a orelha que eu escrevi:

Os bons filhos da puta ficaram pra trás. Estão eternizados em personagens melancólicos e cheios de collones nos contos anteriores de Ricardo Carlaccio. Pois, agora, o autor apresenta o seu melhor e mais ácido livro.
“Um brinde em taças de plástico” é o submundo da cretinice brasileira sobrevivendo aos tempos – um lugar onde o caráter é apenas algo que se sabe que existe, mas ninguém faz questão de encontrá-lo. De repente uma anã travesti ou um vídeo-maker judeu até podem esbarrar com ele em algum lugar cinza da cidade, mas eles colocarão as possibilidades na manga e deixarão que drinks coloridos ditem o xeque-mate.
São personagens desse naipe que o narrador vai apresentando enquanto conta seus sucessos e declínios nessa fábrica de dinheiro e queda que bem podemos chamar Putaria. Jornais populares na maior onda “espreme que sai sangue”, livros de auto-ajuda plagiados, igrejas que transformam Jesus em ministério, atrizes pornôs que viram estrelas de novela, assassinos profissionais do Acre, empresários da libido e – na sacada mais bem bolada de toda a narrativa – empreendedores da ideologia fajuta chamada Gigababahair, algo muito “pior do que sexo, drogas e rock’n roll”.
Ricardo Carlaccio continua firme com seu texto direto coberto de uma aura pulp norte-americana e diálogos cínicos, incorporando agora, uma crítica social que beira a tiração de sarro – o que deixa tudo mais divertido, por supuesto. Ele tem a manha de brincar com clichês de maneira sarcástica, tornando quase tátil essa galeria de excentricidades que tão escondidas por aí, entre inferninhos subterrâneos e tudo aquilo que fica por trás das revistas de fofoca.
Mas é perigoso pensar que não há bons exemplos nesse mundo criminoso e sacana. Carlaccio sabe que as pessoas são o que são e não podem fazer muito quanto a isso. O negócio é cair e se levantar enquanto ainda dá tempo de fazer o que se é capaz. Os seus personagens, por mais errantes que sejam, tão impregnados desse espírito. E tentam sobreviver a caretice dos tempos na base de porradas e broxadas. Por incrível que pareça, às vezes, quando calham de sobreviver, eles até conseguem brindar a essa conscientização maluca de seguir pagando pelos mesmos erros de sempre. Ou, como diz o autor, se divertir “fazendo da vida um boneco de vodu”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: